“Mamãe, eu estou com medo…”

Esta foi a frase que ouviu de uma linda menina de 11 anos, cursando o 6º ano do Ensino Fundamental II. Ela estava se mostrando muito frágil diante do desafio desta nova etapa. Estava com medo do novo, dos desafios. Sentia-se completamente incapaz de vencer. E isso promovia uma sensação de que seu mundo desmoronasse às 7h30 da manhã.

E como agir com nossos filhos diante do medo e da insegurança de uma vida que se apresenta em vários ciclos? E lembrando que estes vários ciclos não trarão certeza de sucesso, mesmo dedicando-se com muito esforço? A criança apresentou uma crise e a família entrou em crise. “O que faço?”, dizia a mãe, com um olhar arregalado, como se me pedisse socorro.

 o que estava acontecendo? Sofia (nome fictício) estava entrando em uma nova etapa acadêmica, conhecendo a nova fase de sua vida com a puberdade, precisando aprender a lidar com as mudanças corporais e ainda tendo que lidar com o luto da perda da infância. Muita coisa para uma criança de 11 anos, não acha? Muitas vezes nos esquecemos do conjunto de situações e focamos apenas na questão escolar. A situação escolar é consequência e não a causa.

Se pararmos para refletir, perceberemos que estamos tendo ações protecionistas diante de nossas crianças. Nós as protegemos tanto que esquecemos de lhes ensinar que nem tudo é previsível ou atingível como desejamos. Deixamos as nossas crianças muito vulneráveis diante daquilo que sai de sua “rotina de sucesso”.

Quando nossas crianças nascem, já vamos traçando o seu caminhar cheio de desejo e orgulho da cria. Elas vão percebendo isso e tentam corresponder. Nunca vi tanto adolescente extremista: perfeccionista ou totalmente relaxado. Reações claras diante da assunção dos projetos familiares ou desistência da correspondência a estes projetos traçados pelos pais. E, dependendo do caminho escolhido, as reações tendem a aparecer mesmo.

Outro contraste é a oscilação de valores entre as gerações. Nossas crianças muitas vezes se perdem, até porque muitos adultos se mostram pedidos. A insegurança ou oscilação de atitudes dos adultos gera instabilidade emocional nos pequenos. “Qual o caminho seguro?” ou “Meu porto seguro é inseguro… Como assim?”.

Os pais precisam aprender a lidar com as situações cotidianas com mais compreensão, para que possam assegurar a caminhada de seus filhos. A vivência de cada família é que determina a clareza da realidade de mundo; a leitura dos pais interferirá na leitura de mundo dos filhos. Diante desta leitura do entorno é que os filhos se apresentarão prontos ou não para as adversidades, medos e fracassos.

Se nos remetermos à fase das descobertas iniciais (mamar, engatinhar, falar), neste período, nos enchemos de recursos para incentivá-los a conquistar e persistirem. Por que nos amedrontamos tanto diante das demais fases? Por que não agimos da mesma forma quando estão descobrindo novas experiências? Quando bebês também estavam descobrindo e crescendo. O medo de andar diante do desiquilíbrio corporal não é muito diferente do medo dos 14 professores da nova fase acadêmica que, de um ano para o outro, ela precisará vencer. E por que neste momento nos assustamos tanto? Por que não sabemos como agir?

Devemos agir da mesma maneira: incentivando e provando que é capaz. Mostrando que este desafio está aí para ser vencido. Comemorando cada etapa vencida com as mesmas palmas que foram batidas a cada passo de quando era bebê. E o principal, oferecendo ainda mais motivação para ir cada vez mais longe. Assim como quando começa a andar e você se afasta para que o bebê vá mais longe, até você… E você se posiciona como um porto seguro lá, esperando, e não fazendo o trajeto por ele. Captou?

Para “Mamãe, eu estou com medo…”, a resposta “Filha, eu também estou com medo” não pode aparecer. Para “Mamãe, eu estou com medo…”, a resposta “Filha, estou ao seu lado para apoiar você neste enfrentamento”, com certeza, mostrará que ela não está sozinha, porque tem você, mas, ao mesmo tempo, deixa claro que você não fará por ela. Ela enfrentará e vencerá este desafio com altivez e sairá ainda mais preparada para as próximas etapas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *